CHAMADA 3

MAPEAR

MAPAS

Mapear o lugar

O lugar do mapa

Mapear o mapa

O lugar do mapear

O mapear e o não mapear

Mapa como não lugar

O não lugar do mapa

 

PROPOSTA

Mapas traçam rotas, criam caminhos, guiam jornadas. Mapas escondem segredos, distorcem verdades, inventam espaços.

 

Mapas são referências de lugares. Mapas são lugares e não lugares. Mapas delimitam e são delimitados. Têm fronteiras e bordas, pontos e linhas visíveis e invisíveis.  São dados, são técnica, camadas, informação, arte.

 

Em um momento de pandemia e reclusão, e o lento retorno às atividades cotidianas fora do confinamento, nossas relações e sentimentos em relação ao espaço se aguçam. O lá fora, o aqui dentro. O outro, o eu, o compartilhado e o individual. O longe, o perto, o vizinho, e o inalcançável. As escalas tomam novas proporções e aos poucos vamos tentando mapear seus significados. Mapas são criados para nos nortear, enquanto nós mesmxs norteamos seu mapear. Ora buscamos caminhos certeiros, ora nos vemos à deriva.

 

Esse exército convida colaboradorxs a refletir sobre o ato de Mapear, em suas mais variadas formas e interpretações, considerando seus diferentes campos de atuação e formatos.

Sua contribuição pode se dar de diversas formas: Texto, artigo, poema, colagem, desenho, fotografia, pintura... contanto que caiba no espaço de uma folha A4, e use apenas as cores branco, preto e amarelo.